icon face  icon twitter  icon youtube

mensagem abril2018

Invocar sobre si o Espírito Criador"

É reportar-se, na fé, àquele momento em que Deus tinha ainda sobre si todo o poder, quando você não era mais do que ‘um pensamento do seu coração’ e Ele podia fazer de você o que quisesse, sem ferir a sua liberdade. É restituir a Deus a própria liberdade. É abandonar-se, com espontânea decisão, como barro nas mãos do oleiro, dizendo-lhe as palavras que Ele mesmo inspirou para isto: ‘Senhor, tu és nosso Pai; nós somos o barro, e tu o nosso Oleiro’ (Is 64,7)

Invocar sobre si o Espírito como Criador é, portanto, abandonar-se à soberana ação de Deus, com total confiança; é situar-se na assim chamada atitude ‘criatural’ diante dele, que é a base de toda autêntica religiosidade. É render-se incondicionalmente, é estar disposto a tudo. É dar carta branca a Deus, como fez Maria quando disse ao anjo: “Eis aqui a serva do Senhor. Aconteça comigo segundo a tua palavra’. Os Padres viam em Maria, nesse momento, a suprema manifestação do Espírito como Criador:

‘O poder Criador do Altíssimo constituiu o Corpo de Cristo, no momento em que o Espírito Santo cobriu a Virgem Maria com sua sombra’. ( Dídimo Alexandrino).
Invocar o Espírito Santo como Criador é abrir-se à novidade e também mergulhar em um profundo silêncio...

(“O Canto do Espírito” / Raniero Cantalamessa)