• A Capela é aberta diariamente ao público para a Missa conventual às 7h00, de Segunda-feira a Domingo.

Atendimento na Portaria: 8h30 às 12h00 e 14h00 às 18h00.

• Para visitas e atendimento pessoal, agendar com antecedência.

• No Advento, Quaresma e no 1º Domingo de cada mês (retiro mensal) não recebemos visitas.





Santa Teresa de Jesus-Preparação para o V Centenario do seu Nascimento

Cipe

Archives Du Carmel De Lisieux

GOT – Grupo de Oração Teresiana

V Centenário Teresiano

Carmelitas - Portugal

Casa Natal de Santa Teresa de Jesús
Carmelitas Descalzos - Ávila
Santos, 08 dezembro de 2008
Solenidade da Imaculada Conceição


Ir. Teresa Margarida do Coração de Jesus, OCD
Comunidade do Carmelo São José e da Virgem Mãe de Deus,

Queridas Irmãs,


Em 15 de dezembro de 1948, era inaugurado solenemente, em Santos, o Carmelo de São José e da Virgem Mãe de Deus. A Diocese de Santos festeja os 60 anos de sua inauguração, como festejou sua bênção e inauguração no início. O fato se processou num clima de muita expectativa e participação por parte de toda a Diocese.
Eis como a Imprensa descreveu o evento: “Foi ontem solenemente instala-do e inaugurado um Mosteiro de Carmelitas Descalças em nossa cidade...Às 8h, Dom Antônio Alves de Siqueira, DD. Bispo Auxiliar de São Paulo rezou a primeira Missa na Capela Provisória do Mosteiro...De tarde, às 16 h, presidindo o Exmo. Sr. Dom Idílio José Soares, Bispo Diocesano, procedeu-se à bênção de todas as dependências do bonito prédio ainda inacabado. Cada paróquia teve diversos re-presentantes na tocante solenidade. Havia notável afluência de católicos. Muito antes da hora marcada para a bênção da casa, o pequeno mosteiro estava repleto de pessoas de todas as classes sociais. Quase todas as Congregações religiosas se fizeram representar. Havia muitos sacerdotes e isto alegrou sobremaneira o coração da Fundadora, Ir. Maria de Jesus.
Dom Idílio destacou a importância para os santistas de terem um “Mosteiro Carmelita, onde com os braços levantados, qual Moisés, reza eficientemente uma Comunidade enclausurada: Este não é um isolamento egoísta. Nem mesmo pen-sam as Irmãs somente na santificação pessoal. Todos os problemas de Santos lhes são confiados. Nova era se abre para todos nós. Sentimos novo alento nestas novas esperanças” (Extraído do Santos-Jornal, de 16 de dezembro de 1948).
Esta citação, queridas irmãs, destaca como foi sentida na época a abertura do Carmelo. Destaque-se ainda: “Bendita a hora em que se lançou a pedra fun-damental do edifício do Carmelo em terras de Brás Cubas! Abnegados corações que trouxeram para cá as Filhas de Santa Teresa de Jesus e irmãs de Santa Te-resinha! Já sonhamos com os milagres morais, renovadores de nossa vida espiri-tual! “Carmelo, mansão silenciosa onde Nosso Senhor se digna pousar os pés, santificando uma cidade”...Escola que nos ensina a soletrar o livro da Cruz! Cate-dral, onde reza uma diocese, presente de Natal de 1948 aos nossos filhos inocen-tes: Carmelo, Feliz visão de Paz!”
Por falar em paz, lembro-me de uma “síntese” da espiritualidade de outra “Teresa”, a Bem-aventurada Teresa de Calcutá: “O fruto do silêncio é a oração, o fruto da oração é a fé, o fruto da fé é o amor, o fruto do amor é o serviço e o fruto do serviço é a paz!” Impressiona a seqüência: silêncio, oração, fé, amor, serviço e paz. Pode ser perfeitamente aplicada a um Carmelo. A diferença está no serviço. Madre Teresa de Calcutá, na profundidade de sua vida contemplativa, dedicava-se inteiramente ao serviço dos pobres e dos doentes. E com isto construiu alicer-ces para a PAZ.
As irmãs do Carmelo têm como característica a interioridade, a contempla-ção. A cultura de hoje tem dificuldades em se concentrar. É muito dispersiva. Leva as pessoas a pensarem em si mesmas. Ou, no máximo, dedicar-se ao serviço. Teresa de Calcutá unia as duas dimensões. Santa Teresa de Jesus, concentrada na contemplação, servia o mundo através da oração, do exemplo e da interces-são, difundindo os elementos indispensáveis para a PAZ.
Ela nos oferece também uma preciosa “síntese” de sua espiritualidade (a-qui reproduzida na língua original): “Nada te turbe, nada te espante. Todo pasa. Dios no se muda. La paciencia todo alcanza. Quien a Dios tiene nada le falta. SÓ-LO DIOS BASTA!”
Impressionante a afirmação: “Quem tem Deus não lhe falta nada. Somente Deus basta”! Abre o horizonte para o Infinito e confere um sentido global à exis-tência humana. No caso do Carmelo e da vida contemplativa, realça uma vocação especial e singular na vida da Igreja. A contemplação abre para Deus e para os tempos infinitos. Mas, ao mesmo tempo, se abre para o mundo. Reza e intercede por todos. Está presente na intercessão diante dos problemas e dificuldades bem reais e sentidos.
O Carmelo São José e da Virgem Mãe de Deus comemora 60 anos de i-nauguração. Estarei celebrando a Santa Missa comemorativa. Sinto alegria imen-sa ao fazê-lo. Comove-me a participação de Dom Idílio José Soares na abertura e no acompanhamento do Mosteiro em seus primeiros passos em Santos.
Dom David Picão também descreve como viu, então como Bispo eleito da Diocese de São João da Boa Vista, a partida de Madre Maria de Jesus, e suas Irmãs, a caminho da nova fundação em Santos: “Como são insondáveis os cami-nhos do Senhor! Como são maravilhosas Suas veredas! A criatura humana, a ca-da dia que passa, deve convencer-se de sua pequenez e colocar nas mãos de Deus pessoas e acontecimentos. Não somos simples peças de um jogo, mas conscientes construtores da “Cidade de Deus”. Assim aparecem as almas justas aos olhos do Pai e dos irmãos – caminheiros todos da eternidade”. Não podia ele imaginar, no momento que escreveu estas linhas, que seria Bispo de Santos e de como iria amar e zelar pelo Carmelo São José e da Virgem Mãe de Deus.

Queridas irmãs, na celebração deste aniversário singular, quero rezar com a admiração que tenho por Santa Teresa de Jesus, por Santa Teresinha do Meni-no Jesus e por Santa Edith Stein (permitam-me chamá-la assim) e pedindo sua intercessão por este Carmelo que aprendi a amar com os Bispos, com os presbí-teros, com o Seminário São José, com os religiosos e religiosas que aqui traba-lham e com tantos leigos e leigas de nossa Diocese. São José está bem presente em nossa intercessão.
Tenham a certeza, queridas irmãs, da admiração que toda a Diocese nutre por este Carmelo, da apreciação por suas mensagens em momentos significativos da vida diocesana.
A Diocese de Santos ama o Carmelo, ama as Irmãs e zela pelas vocações ao Carmelo. Sublinho o que escreveu Ir. Teresa Margarida do Coração de Jesus, no último número do Jornal “Presença Diocesana”: “A grande popularidade e con-temporaneidade dos Santos do Carmelo se encarregam da divulgação do caris-ma, através da devoção popular. Existe uma irradiação mística e espiritual da vida de clausura que exerce uma força de atração sobre as pessoas que anelam a uma vida de união com Deus, não somente jovens vocações ao Carmelo, como tam-bém sacerdotes, seminaristas e leigos”. Nada mais verdadeiro do que esta afirma-ção.
Com profundo reconhecimento por tudo o que as Irmãs do Carmelo repre-sentam na Diocese e pelas orações que elevam continuamente a Deus por nós, deixo-lhes minha bênção com profundo amor e gratidão. Continuemos amando e rezando: 60 anos é um aniversário a mais! A história continua para o Carmelo São José e da Virgem Mãe de Deus!
Uma coincidência feliz: acabo de escrever esta carta na solenidade da I-maculada Conceição de Maria. Invoco a proteção dAquela que ouviu do Anjo: “Alegra-te, Cheia de graça, o Senhor está contigo!” Alegrem-se as mulheres que crêem em Deus e que, acreditando que um mundo melhor é possível, se entre-gam à contemplação para torná-lo realidade em suas pessoas, porque Deus, es-tando presente nelas, estará presente no mundo. Na solenidade da Imaculada Conceição,

Dom Jacyr Francisco Braido, CS Bispo Diocesano de Santos
4h40: Despertar

5h: Ofício Divino da Manhã

5h30 às 6h30: Oração silenciosa, pessoal

6h30: Ofício Divino, Hora Terça

7h00: Celebração da Eucaristia

Café / Trabalho (Formação para o Noviciado)

11h00: Ofício Divino, Hora Sexta / Exame de consciência

11h30: Refeição/ Louça / Recreio

13h00 às 14h00: Silêncio sagrado/Tempo livre

14h00: Leitura espiritual de formação

14h45: Ofício Divino, Hora Nona/ Trabalho

16h35: Ofício Divino, da Tarde

17h00 às 18h00: Oração silenciosa, pessoal

18h00: Refeição/ Louça / Recreio

19h35: Ofício Divino, Completas/ Silêncio sagrado

21h00: Ofício Divino, de Leituras/ Repouso
www.carmelodesantos.com.br
R. Dom Duarte Leopoldo e Silva, 50 - Santos/SP