• A Capela é aberta diariamente ao público para a Missa conventual às 7h00, de Segunda-feira a Domingo.

Atendimento na Portaria: 8h30 às 12h00 e 14h00 às 18h00.

• Para visitas e atendimento pessoal, agendar com antecedência.

• No Advento, Quaresma e no 1º Domingo de cada mês (retiro mensal) não recebemos visitas.





Santa Teresa de Jesus-Preparação para o V Centenario do seu Nascimento

Cipe

Archives Du Carmel De Lisieux

GOT – Grupo de Oração Teresiana

V Centenário Teresiano

Carmelitas - Portugal

Casa Natal de Santa Teresa de Jesús
Carmelitas Descalzos - Ávila
A regra do Carmelo, mosaico da Escritura Sagrada

“A espada do Espírito que é a palavra de Deus (Ef 6,7), esteja sempre abundantemente em vossa boca e em vossos corações (Rom. 10,8) com toda a sua riqueza (Cl 3, 10). E tudo quanto fizerdes, fazei-o em nome do Senhor”. (Cl 3,17; I Cor 10,31).
O convite dirigido aos “ermitães” do monte Carmelo está confirmado pelo texto íntegro da Regra e corroborado com o exemplo do mesmo legislador, Santo Alberto, Patriarca de Jerusalém.
Com efeito, a Regra do Carmelo é um projeto de vida concebido e formulado por alguém no qual “habitava” superabundantemente a palavra do Senhor e, por conseguinte, inclinada como por um instinto a pensar e expressar tudo por meio da palavra bíblica. De tal maneira está presente a Palavra de Deus em nossa Regra, que patente para o nosso legislador: esta Palavra não podia deixar de ser, simultaneamente, Cristo mesmo e as Escrituras que nos propõem a Cristo. Compreendemos o alcance da exortação mencionada: vivam os irmãos do Carmelo as riquezas de Cristo realizadas em suas pessoas e obtenham da fonte das Escrituras, a inteligência das coisas de Deus, a sabedoria, os estímulos e as certezas espirituais, que convém aos chamados a viver o radicalismo evangélico. Daí o empenho de “viver em obséquio de Jesus Cristo” expressado no prólogo.
Redigida no século XIII, teve por berço o Monte Carmelo, portanto, é oriental, bíblica e evangélica, uma Regra de caráter contemplativo; traz a marca do Antigo e do Novo Testamento.
Somos filhos dos Profetas, senão por sucessão material, ao menos por sucessão espiritual, o que é ainda mais forte e verdadeiro, e isto é muito belo! “Olhando para os veneráveis Padres antigos, especialmente para o profeta Elias, como nosso inspirador, adquirimos uma consciência mais viva de nossa vocação contemplativa, voltada completamente para a escuta da Palavra de Deus.” (Constituições nº 2). Temos o senso de Deus como os antigos Profetas e também, o que à primeira vista parece excluir-se, o senso de Cristo, de Jesus, porque somos da Palestina! Dotadas que somos de uma graça de estado para saborear as Escrituras e vivê-las; é algo típico do Carmelo, intimamente ligada com nossa vocação profética, fruto do silêncio e também o caminho que a ele conduz.
A leitura orante da Bíblia encontramo-la nove vezes explicitamente recomendada na Regra: Cap IV: ouvir a Sagrada Escritura durante as refeições; Cap VII: meditar dia e noite a lei do Senhor; Cap VII: rezar os salmos (horas canônicas); Cap X: participar diariamente da Eucaristia; Cap XIV: ter pensamentos santos (fruto da Lectio Divina); Cap XIV: a Palavra deve habitar na boca e no coração; Cap XIV; agir sempre de acordo com a Palavra de Deus; Cap XV: ler com freqüência as cartas de S. Paulo; Cap XVII: ter diante de si o exemplo d Jesus Cristo servidor como está no Evangelho.
Uma leitura mais atenta saberá encontrar ainda na regra a pedagogia dos quatro degraus da Lectio Divina: Lectio, Meditatio, Oratio e Contemplatio.
Assim, Carmelita é aquele ou aquela totalmente empapado pela Palavra de Deus: no coração, na boca, na vida.
“Neste contexto, convém recordar a necessidade e uma constante referência à Regra, já que na Regra e nas Constituições ‘se encerra um itinerário e seguimento, qualificado por um carisma específico e confirmado pela Igreja’. Tal itinerário traduz a peculiar interpretação do Evangelho dada pelos Fundadores e pelas Fundadoras, dóceis ao impulso do Espírito, e ajuda os membros do Instituto a viver concretamente de acordo com a Palavra de Deus”. (Partir de Cristo, 24).
4h40: Despertar

5h: Ofício Divino da Manhã

5h30 às 6h30: Oração silenciosa, pessoal

6h30: Ofício Divino, Hora Terça

7h00: Celebração da Eucaristia

Café / Trabalho (Formação para o Noviciado)

11h00: Ofício Divino, Hora Sexta / Exame de consciência

11h30: Refeição/ Louça / Recreio

13h00 às 14h00: Silêncio sagrado/Tempo livre

14h00: Leitura espiritual de formação

14h45: Ofício Divino, Hora Nona/ Trabalho

16h35: Ofício Divino, da Tarde

17h00 às 18h00: Oração silenciosa, pessoal

18h00: Refeição/ Louça / Recreio

19h35: Ofício Divino, Completas/ Silêncio sagrado

21h00: Ofício Divino, de Leituras/ Repouso
www.carmelodesantos.com.br
R. Dom Duarte Leopoldo e Silva, 50 - Santos/SP