Siga-nos! 

Lectio Divina - Módulo I Perspectiva Bíblica

 

Lectio Divina

Perspectiva Bíblica

 

                “Nom minus est Verbum Dei quam Corpus Chisti.” “Não é menor a Palavra de Deus que o Corpo de Cristo.” (Stº Agostinho)

         Deus é Palavra; a mensagem que a Bíblia nos comunica é uma espécie de Sacramento da Presença do Senhor. Antes de fazer-se Carne, o Verbo se fez Escritura. Depois da Encarnação do Verbo a escuta da Palavra tornou-se em sentido pleno Comunhão, Eucaristia, Deus-conosco. Assim devemos nos preparar com pio recolhimento a alimentação que, maná cotidiano, a Sagrada Escritura nos traz - seja na Liturgia das Horas, seja na Liturgia diária da Missa, na oração pessoal ou no estudo -, da mesma sorte como nos concentramos na prece, antes da Comunhão e nos manter numa atmosfera celeste de uma fervorosa impregnação da Palavra.

         De fato “nós bebemos o Sangue de Cristo não somente quando o recebemos segundo os ritos dos Sagrados Mistérios, mas ainda quando recebemos a Sua Palavra onde está a Vida, como Ele disse de Si mesmo: “A palavra que vos disse, são espírito e vida.” (Orígenes)

         Interiorização da Palavra como o sangue nas veias, onde já nem parece haver mais diferença entre Bíblia e vida, entre palavra de Deus e a nossa palavra: a vida ilumina o texto, o texto ilumina a vida. É uma tomada de consciência de que em nossa vida se prolonga a história Sagrada.

         Para tal, ressaltamos a importância dos meios ascéticos que o Carmelo nos apresenta, não no prisma de renúncia, mas porque melhor nos dispõem ao escopo da “Lectio Divina”, essencialmente aquele de entrar em íntima comunhão com Deus, viva experiência de amor, “estando muitas vezes a sós com quem sabemos que nos ama”. (Stª Teresa de Jesus, Vida, 8,5)

         Não se trata, portanto, de acrescentar algo à nossa vida, mas estarmos despertas na fé, com ouvidos de discípulo, criando “espaço sagrado”, para a Palavra de Deus.

         Movidas não pela erudição, mas por um apaixonado amor, aí vamos procurar a “ciência eminente de Jesus Cristo” (Fl 3,8), pois “há muito que aprofundar em Cristo, sendo Ele qual abundante mina com muitas cavidades cheias de ricos veios, e por mais que se cave, nunca se chega ao termo, nem se acaba de esgotar”. (S. João da Cruz- Cântico Espiritual, 37, 4)

         A Bíblia não é um livro, mas uma Pessoa: Cristo Jesus; Ele é o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim; somente a Sua Pessoa dá sentido e harmonia a toda a História Sagrada. “Todas as promessas de Deus são um sim em Jesus Cristo” (II Cor 1,20).

         A Lectio Divina nos compromete com a Comunidade; “sentimos ser aí o espaço teologal, onde se experimenta a presença mística do Senhor Ressuscitado” (Verbi Sponsa 1,6) e à maneira dos primeiros cristãos vamos partilhar a Palavra com espontaneidade, num clima de fraternidade e simplicidade evangélica.

         “Afastadas das coisas externas na intimidade do ser, purificando o coração e a mente através de um sério caminho de oração, de renúncia, de vida fraterna, de escuta da Palavra de Deus, de exercício de virtudes teologais, somos chamadas a conversar com o Esposo Divino Meditando a sua lei dia e noite, a fim de recebe o dom da sabedoria do Verbo e tornar-se uma só coisa com Ele, sob o impulso do Espírito Santo”. (Verbi Sponsa 1,5)

         Sentimo-nos felizes, pois, Monjas Contemplativas, “revivemos e continuamos na Igreja a presença de Maria. Acolhendo o Verbo na fé e no silêncio adorador, colocamo-nos ao serviço do mistério da Redenção.” (Verbi Sponsa 1,4)

(Texto: Monjas Carmelitas – Carmelo de Santos/SP)